<- para casa

Lisboa

A capital portuguesa está em alta e atraindo uma multidão de turistas. E motivos não faltam para encantar os visitantes. Afinal, sua rica história e cultura mesclam-se com os novos cenários urbanos. A diversidade de atrativos é um convite irrecusável ao lazer, entretenimento, compras e, claro, à boa gastronomia

Lisboa se reinventou e abriu definitivamente as portas para o turismo. Em qualquer época do ano, suas ruas e principais atrativos estão lotados de visitantes vindos de todas as partes do mundo. Atualmente, sua rica história e cultura que remontam a milhares de anos convivem lado a lado com os novos cenários urbanos trazidos pela modernidade. Mas a bela capital portuguesa não vive à sombra do seu passado de glórias e descobertas que mudaram a geografia do planeta. Há muito o que fazer na cidade. Basta escolher o que mais se adapta ao seu estilo, tempo disponível e se está viajando com a família, sozinho ou com os amigos. Para nós brasileiro há, ainda, a facilidade do idioma. Mas, independentemente da motivação, algumas atrações são imperdíveis

Lugares que não podem faltar no roteiro

TORRE DE BELÉM – Um ícone local. Está para Lisboa como a Torre Eiffel para Paris. Considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, desde 1983, foi erguida na margem norte do Rio Tejo, entre 1514 e 1520, para defesa do destino. É uma das joias da arquitetura do reinado de D. Manuel I. Uma dica é visita-la no final da tarde para curtir o pôr do sol no local. Nesse horário, os tons do céu a deixam ainda mais impactante. Aberta para visitas de maio a setembro (10h às 18h30) e de outubro a abril (10h às 17h30). O tíquete individual sai por € 6. Quem preferir pode comprar o bilhete conjunto, que combina outras atrações.

MOSTEIRO DOS JERÔNIMOS – Uma das mais importantes atrações da cidade, está estreitamente ligado à Casa Real Portuguesa. Obra-prima do estilo manuelino, sua riqueza de detalhes reflete o poder do reino português à época da epopeia dos descobrimentos. Declarado Monumento Nacional desde 1907 e classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco, foi construído no século 16 por ordem de D. Manuel I, que queria perpetuar a sua grande devoção a Nossa Senhora.

O visual da sua fachada chama a atenção – tem 300 metros de extensão, arcadas, torres e enormes janelas. O pé-direito é altíssimo e apenas seis colunas sustentam a grande abóbada. Um dos destaques é a Igreja de Santa Maria de Belém, onde estão os túmulos de Luís de Camões e Vasco da Gama. Nas capelas laterais e na belíssima capela-mor estão sepultados D. Manuel I e seus descendentes. Aberto para visitação de maio a setembro (10h às 18h30) e de outubro a abril (10h às 17h30). O ingresso individual custa €10 e €12 se combinado com a Torre de Belém. O mosteiro abriga também os museus de Arqueologia e da Marinha (ingressos vendidos separadamente).

CASTELO DE SÃO JORGE – Construído no topo da colina mais alta de Lisboa, a imponente fortaleza medieval surge em meio à estreitas e labirínticas ruas do centro velho. A cidadela, erguida pelos muçulmanos em meados do século 11, era o último reduto de defesa para as elites que viviam no local. Tem extensas muralhas de pedra, pátios arborizados e mirante com uma incrível vista da cidade e do Tejo. Também Monumento Nacional, passou por obras de reconstrução na década de 1940. Investigações arqueológicas confirmaram o seu inestimável valor histórico. Funciona de março a outubro (9h às 21h) e de novembro a fevereiro (9h às 18h). O ingresso custa €8,50.

ARCO TRIUNFAL DA RUA AUGUSTA – Mirante aberto ao público em agosto de 2013, oferece uma visão privilegiada e incomum da capital portuguesa. Lá do alto se pode observar todo o Terreiro do Paço, o Rio Tejo, a Baixa Pombalina, as ruinas do Convento do Carmo, a Ponte 25 de Abril entre outros pontos de interesse.

TERREIRO DO PAÇO – Praça mais importante da cidade, está localizada próxima ao Tejo e possui diversas esplanadas, restaurantes, cafés, discoteca e postos de informação turística.

PRAÇA DO COMÉRCIO – Considerada uma das mais bonitas da Europa, está entre a Baixa e o Tejo. Cercada por prédios com arcadas e pelo rio, foi no passado um cais onde desembarcavam monarcas e outros figurões importantes. Além da estátua de D. José I, o destaque é o belíssimo Arco da Rua Augusta, que abre caminho para a famosa via para pedestres repleta de lojas e coberta por um lindo trabalho de pedras portuguesas. No seu entorno os palacetes agora abrigam restaurantes, bares, cafés e sorveterias.

PRAÇA DO ROSSIO – Cercado por construções neoclássicas - como o Teatro Nacional D. Maria II -, confeitarias, restaurantes e cafés, é também chamada de Praça Dom Pedro IV (que é o Dom Pedro I do Brasil). As pedras portuguesas que cobrem o chão inspiraram o desenho do calçadão de Copacabana. Aproveite para conhecer também a bela Estação do Rossio, cuja fachada parece a de um palácio.

ELEVADOR DE SANTA JUSTA – Lisboa é cheia de ladeira e para facilitar a vida dos habitantes, foram construídos funiculares e um elevador vertical. Único na cidade, esse elevador inaugurado em 1902 liga a Baixa ao Largo do Carmo. Além de proporcionar uma linda vista para a parte antiga da região, sua bela torre foi construída em ferro e desenhada por Ponsard, que se inspirou nas obras de Gustave Eiffel.

ELÉTRICO 28 – Visitar Lisboa e não andar no histórico e tradicional bonde é erro imperdoável. A bordo do charmoso bondinho, os turistas têm a oportunidade de conhecer ruas e bairros que são símbolos de Portugal. Mas, atenção, cuidado com suas carteiras, bolsas e celulares, pois há muitos “batedores de carteiras” à espera de turistas descuidados.

OCEANÁRIO DE LISBOA – Passeio ideal para quem viaja com crianças, está entre os maiores aquários em nível internacional. Localizado no Parque das Nações, tem 7 milhões de metros cúbicos de água salgada e sete metros de profundidade. É dividido em diferentes ambientes marinhos – Antártico, Atlântico, Índico e Pacífico -, onde estão cerca de 8 mil animais e plantas de aproximadamente 500 espécies. Em 2017, foi considerado pelo TripAdvisor como o melhor oceanário do mundo. Abre diariamente das 10h às 18h. Os ingressos custam €15,30 (adulto) e €9,90 (sênior/+65 e jovens entre 4 e 12 anos). Crianças até 3 anos não pagam. Há ainda combo família por €44 (dois adultos + dois jovens).

Bairros para curtir e entender Lisboa

Os bairros lisboetas ajudam a entender a história portuguesa e rendem interessantes achados. Entre os mais tradicionais estão Alfama e Chiado. Então embarque nos nostálgicos bondinhos e logo se sentira em casa.

ALFAMA – O mais antigo e um dos mais famosos da capital, fica na beira do Rio Tejo. Ao longo de suas ladeiras e ruelas estreitas, guarda tesouros históricos e atrações como a Sé de Lisboa, o Castelo de São Jorge e inúmeras casas de fado. No passado era um bairro bastante humilde, porém, com o tempo foi se revitalizando.

CHIADO – Considerado um bairro boêmio, onde a vida noturna ferve, está repleto de bares restaurante e cafés. Durante o dia as atrações são suas construções clássicas e lugares históricos. Localizado bem no coração de Lisboa – entre os bairros da Baixa Pombalina e Alto – é reduto de intelectuais, artistas, poetas e escritores. Entre os principais pontos de atração estão a Praça Luís de Camões, o Museu de São Roque (fundado em 1905, reúne um rico acervo de arte sacra) e a Livraria Bertrand, aberta desde 1732 (considerada a mais antiga do mundo ainda em funcionamento). Não deixe também de conhecer o famoso café A Brasileira (fundado em 1905), junto ao Largo do Chiado, e tirar uma foto ao lado da estátua do escritor português Fernando Pessoa, que era um dos frequentadores mais assíduos da casa. É um clichezão, mas a vida está cheia deles!

ALTO E BAIXA – O chamado bairro Alto tem casas antigas e ruas de pedra. Cenário clássico que descreve bem essa região central, onde os dias calmos contrastam com a agitação noturna. Lá você irá encontrar muitas lojas, restaurantes e cafés. Já a Baixa, também no centro, é vizinha do Chiado e engloba as ruas no entorno da Rua Augusta, com seu chão de pedras portuguesas e muitas lojas.

BELÉM – Um pouco afastado do centro, esse importante bairro cultural da cidade reúne importantes monumentos. Entre eles a Torre de Belém, o Mos66 teiro dos Jerônimos e o Padrão dos Descobrimentos. Aproveite para tomar um café e se deliciar com os famosos – e saborosos – Pastéis de Belém, na casa do mesmo nome fundada em 1837. Dependendo da hora prepare-se para enfrentar longas filas, mas, acredite, valerá à pena.

CAIS DO SODRÉ – Um dos bairros de maior movimento durantes as noites de Lisboa, reúne muitas e boas opções de restaurantes, bares e baladas. Mas nem sempre foi assim. Houve tempos em que a região abrigou um estaleiro e muitos prostíbulos.

PARQUE DAS NAÇÕES – Projetado e construído para receber a Expo de 1998, é o mais moderno bairro da cidade e um dos locais mais procurados pelos visitantes. Lá estão atrações de lazer como o Oceanário e o teleférico – chamado de telecabine. Bem próximo estão importantes obras arquitetônicas como a Ponte Vasco da Gama sobre o estuário do Rio Tejo e a Gare do Oriente, estação ferroviária projetada pelo renomado arquiteto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava – o mesmo que projetou o Museu do Amanhã no Rio de Janeiro. O teleférico proporciona um passeio curto – pouco mais de mil metros em 8 minutos -, mas muito bonito. Lá do alto terá uma vista deslumbrante da cidade, do Tejo, do Parque das Nações, da Doca dos Olivais, do Pavilhão de Portugal e da Torre de Belém. Funciona diariamente e os ingressos podem ser adquiridos para viagens de ida e volta ou para apenas um trecho: adultos €3,95/€5,90; maiores de 65 anos €2/€3,35; crianças de 7 a 12 anos €2/€3,35; menores de 6 anos não pagam.

Museus contam a história da cidade

Se você for do tipo rato de museu, Lisboa não vai lhe decepcionar. São muitas as opções culturais e históricas, além de outros com temáticas variadas como design, arte contemporânea, azulejo etc. A seguir, relacionamos alguns dos mais importantes:

LISBOA STORY CENTRE – MEMÓRIAS DA CIDADE – Espaço interativo, conta a história da capital portuguesa desde a sua origem. Lá você poderá vivenciar os principais fatos ocorridos na região e visitar um teatro de experiência imersiva, no qual é recriado o terremoto ocorrido no destino em 1755, o mais violento já ocorrido na Europa.

PALÁCIO NACIONAL DA AJUDA – Localizado próximo ao Mosteiro dos Jerônimos é importante herança dos tempos da monarquia. Fundado no século 19, tem estilo neoclássico e já foi residência da Família Real portuguesa. Abriga, também, a Biblioteca da Ajuda, a Galeria de Pintura do rei D. Luís I e a Secretaria de Estado da Cultura.

CONVENTO DO CARMO – Fundado em 1389, foi quase todo destruído pelo terremoto e incêndio em 1755. Restaram apenas parte das paredes, as colunas e os grandes arcos góticos. Atualmente, funciona no local o Museu Arqueológico do Carmo, com um acervo sobre a história do destino.

SÉ DE LISBOA – Construída no século 12 no mesmo lugar onde existia uma mesquita, essa catedral é símbolo da reconquista cristã do território português, depois de séculos sob o domínio dos mouros. Também conhecida como Igreja de Santa Maria Maior, tem estilo predominantemente românico e guarda várias capelas e um claustro.

PAVILHÃO DO CONHECIMENTO – Museu interativo dedicado à ciência e tecnologia, estimula a exploração do mundo físico e a experimentação. Muito divertido e ideal para ir com as crianças. Aberto ao público em 1999, tem como objetivo estimular o conhecimento científico.

MUSEU NACIONAL DOS COCHES – O acervo tem viaturas de gala e de passeio dos séculos 16 a 19, a maioria provenientes da Casa Real Portuguesa. Há, também, veículos vindos dos bens da igreja e de coleções particulares. A coleção reúne 70 peças desde meios de transporte com tração animal – utilizados pelas cortes europeias – até os primeiros automóveis produzidos.

MUSEU DE ARTE ANTIGA – Criado em 1884, guarda a mais relevante coleção pública portuguesa, entre pintura, escultura, ourivesaria e artes decorativas da Europa, África e do Oriente. São mais de 40 mil itens no acervo, incluindo obras raras de artistas nacionais e internacionais.

MUSEU NACIONAL DO AZULEJO – Portugal tem muito orgulho das suas construções e arquitetura que utilizavam azulejos como forma de decoração. Esse museu exclusivo sobre o tema mostra como começou essa antiga tradição e arte na produção desde o século 15 até a contemporaneidade. Localizado próximo às margens do Rio Tejo, está instalado em um prédio onde funcionou o Convento da Madre de Deus, que data de 1509.

MUSEU CALOUSTE GULBENKIAN – Um dos mais famosos da cidade, apresenta exposição de peças de arte moderna e antiga. A coleção é enorme, porém, apenas aproximadamente mil estão expostas ao público.

MAAT – O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia incluiu Lisboa na rota dos grandes museus de arte moderna do mundo. Inspirado em uma concha, o prédio todo revestido por placas cerâmicas parece flutuar ao lado do Rio Tejo. Localizado em Belém, está ao lado do antigo Museu da Energia, que foi incorporado. O terraço panorâmico - aberto 24 horas por dia – oferece uma linda vista da região e da Ponte 25 de Abril. Funciona de quarta a segunda, das 12h às 20h. Preços: €5 (regular) e €2,50 (estudantes e +65 anos).

Outras atrações que valem à pena

EXPERIÊNCIA PILAR 7 – Localizada na Avenida da Índia, em Alcântara, a nova atração turística e cultural de Lisboa mostra a Ponte 25 de Abril, uma das mais bonitas do mundo, como nunca se viu. A proposta é uma viagem pela história da construção, terminando na ascensão de um elevador panorâmico até a um mirante a uma altura de 80 metros de altura - equivalente a 26 andares -, que possibilita uma visão inédita da cidade, em particular sobre a zona de Belém e o Rio Tejo. Abre todos os dias de maio a setembro (10h às 20h) e de outubro a abril (10h às 18h). Preços: €6 (regular) e €4 (estudantes e +65 anos).

RIO TEJO – Se tiver tempo, aproveite para fazer um passeio de barco pelo rio e ver a cidade por uma outra perspectiva. Diversas empresas oferecem os cruzeiros pelo Tejo, alguns com direito a jantares à luz de velas.

PARQUE EDUARDO VII – O mais tradicional do destino, possui jardins que se estendem desde o alto de uma colina até a rotatória de Marquês de Pombal.

PARQUE FLORESTAL DE MONSANTO – Ótima opção de passeio para quem curte paisagens naturais exuberantes. É o maior espaço verde da cidade com cerca de 900 hectares e muita vegetação e locais para a prática de atividades físicas e desportivas.

JARDIM DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN – Outro importante espaço arborizado, oferece um lago, riacho, trilhas e um anfiteatro ao ar livre.

Compras – do luxo ao artesanto

A capital portuguesa oferece um grande e variado comércio de rua, modernos shoppings centers e alguns dos principais outlets da Europa. O roteiro de bons locais para as compras passa necessariamente por ruas, avenidas e bairros históricos como a Avenida da Liberdade, Rua Castilho, Bairro Alto, Baixa e Chiado. Entre os principais estabelecimentos estão o Embaixada, Lisbon Shop, El Corte Inglês, Shopping Amoreiras e o Centro Comercial Vasco da Gama. Outra boa opção é atravessar o Rio Tejo em direção a Alcochete, onde fica o Freeport Lisboa Fashion Outlet, o maior outlet do continente com mais de 120 lojas.

Na famosa Avenida da Liberdade, um dos points mais sofisticados da cidade, os visitantes entrarão produtos luxuosos e exclusivos. Ao longo dessa bem arborizada via estão lojas das principais marcas de grifes nacionais e internacionais.

Para quem procura compras mais descoladas, o lugar é o alternativo bairro Príncipe Real – entre a Av. da Liberdade e o Bairro Alto. Lá estão espaços e conceitos comerciais charmosos e elegantes como o Embaixada, que ocupa um prédio antigo repleto de lojas de design e de moda, além de boas opções gastronômicas. O tradicional Chiado mistura novas tendências e conceitos da moda, onde convivem marcas nacionais e internacionais. É também um dos principais centros de comércio de artes da capital portuguesa.

Região comercial mais antiga de Lisboa, a Baixa Pombalina mescla lojas de souvenires com as de moda e acessórios. Locais como a famosa Rua Augusta e o emblemático Terreiro do Paço concentram o comércio tradicional e lojas com as últimas tendências da moda.

Lisboa oferece também interessantes feiras de artesanato e de arte urbana. A mais conhecida é a Feira da Ladra, espaço repleto de verdadeiros tesouros e antiguidades. Outras não menos concorridas são a Feira das Almas e o mercado da LX Factory.

Gastronomia – dez séculos de tradição

Mas uma visita à bela Lisboa não estará completa sem os prazeres da mesa proporcionados pelos famosos pratos e especiarias da culinária portuguesa. A cena gastronômica lisboeta apresenta casas de renome internacional bem como locais tradicionais, contemporâneos, alternativos e intimistas. No Chiado, por exemplo, está o requintado Restaurante Tavares, frequentado celebridades portuguesas. Inaugurado em 1784, é um dos mais antigos de Portugal. Mas o mais antigo da cidade é o Martinho da Arcada, na Praça do Comércio, cuja história está ligada à literatura portuguesa. Teria sido inaugurado pelo Marquês de Pombal, em 1782. Se quiser comida típica portuguesa e ainda curtir o autêntico fado, duas boas opções são o restaurante O Forcado (no Bairro Alto), que tem a fadista Amália Rodrigues como madrinha; o Parreirinha de Alfama e o A Travessa do Fado, ambos no coração de Alfama. Para refeições mais descontraídas vale uma visita aos mercados gastronômicos da cidade, como o Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré.

Construída em quase dez séculos de história, a gastronomia lusitana sofreu a influência de povos de diferentes regiões. Revela influências atlânticas e mediterrâneas, visíveis na quantidade de bacalhau e outros peixes consumidos no dia a dia. Entre as delícias que chegam às mesas, os sabores se multiplicam na variedade de sopas, nos frutos do mar, nas carnes e nas vísceras, principalmente de porco, que integram os cardápios de pratos e petiscos regionais – com destaque para os presuntos e os enchidos.

Em comum, todos os pratos têm sempre a companhia do essencial azeite de oliva, dos pães e dos apreciadíssimos vinhos portugueses, que estão sempre presentes. Há, ainda, os famosos doces portugueses, como o pastel de nata, que nós conhecemos melhor como Pastel de Belém. Não deixe de provar os legítimos na confeitaria situada próximo do Mosteiro dos Jerônimos, que funciona desde 1837 no local. Segundo contam, o doce é preparado de acordo com uma receita secreta oriunda do mosteiro, que é transmitida e conhecida apenas pelos mestres pasteleiros que fabricam artesanalmente o quitute. Imperdível!

LISBOA - UM GIRO PELOS ARREDORES

Quem tiver tempo e estiver disposto a dar umas esticadinhas a partir da capital portuguesa terá opções de sobra. Aproveite para conhecer destinos próximos em passeios de algumas horas ou de um dia inteiro. Entre os destinos mais interessantes e acessíveis a partir do centro de Lisboa, sugerimos os seguintes:

SINTRA – Patrimônio Mundial pela Unesco, apresenta belezas naturais, praias e um vasto patrimônio cultural. Entre os atrativos estão os palácios Nacional da Pena - construído no alto de uma colina de 500 metros de altura, guarda objetos pessoais do rei e da rainha, além das salas luxuosamente decoradas e fotos originais; Monserrate, que possui belos jardins e mistura estilos mourisco, gótico e inglês; Quinta da Regaleira - Patrimônio da Humanidade pela Unesco é cercado por jardins luxuosos com poços e fontes; Seteais, Castelo dos Mouros (século 8), Convento dos Capuchos, igrejas e museus. Se o tempo estiver quente, aproveite para curtir as mais belas praias da região: Grande e das Maçãs. E não deixe de experimentar os tradicionais doces locais, como os travesseiros e as deliciosas queijadas. Distante apenas 28 km de distância, a cidade é uma ótima opção para um passeio de um dia.

CASCAIS – Principal destino de praia na região de Lisboa, é uma estância tranquila, romântica e cosmopolita. Oferece uma boa infraestrutura turística com restaurantes, lojas e hotéis. Da praia de Carcavelos à do Guincho, apresenta areia dourada e um mar que mescla tons de azul e verde. No centro, passeie relaxadamente a pé ou de bicicleta pelas esplanadas à beira-mar.

ESTORIL – Localizada ao lado de Cascais, é chamada de Riviera Portuguesa. Tem mansões e palacetes de décadas passadas e um histórico cassino – o maior da Europa. O clima ameno e as belas paisagens atraem muitos turistas. Já foi local de residência de veraneio da Família Real portuguesa.

OEIRAS – Pequena vila na margem direita do Rio Tejo, dispõe de locais aprazíveis para esportes e lazer, além de um dos melhores exemplares da casa senhorial portuguesa do século 18, o Palácio do Marquês de Pombal.

ERICEIRA – Considerada reserva mundial de surfe é destino ideal para passar alguns dias relaxando na praia. A vila turística está a 35 km do centro de Lisboa, a 18 km de Sintra e a 8 km de Mafra.

MAFRA – Guarda um dos mais grandiosos monumentos de todo o mundo: o Palácio Nacional de Mafra, o mais importante exemplar do barroco português. Construído no século 18 para ser um convento, demorou 27 anos para ser concluído. O palácio tem 40 mil metros quadrados, mais de 150 escadarias, uma basílica, centenas de cômodos e uma vastíssima biblioteca.

QUELUZ – Praticamente ao lado de Lisboa, a pequena cidade tem como principal destaque o Palácio Nacional de Queluz - de arquitetura rococó e com belos jardins em estilo francês -, que foi a residência oficial da Família Real portuguesa até a fuga para o Brasil, em 1807.

AZENHAS DO MAR – Esse pequeno povoado a 12 km de Sintra atrai muitos turistas por seu cenário encantador no alto de uma encosta rochosa à beira-mar. Casinhas brancas com telhados vermelhos e uma praia completam o visual paradisíaco.

SETÚBAL – Apresenta diversidade natural com paisagens onde o mar sobressai. Entre seus atrativos estão as lindas praias, os estuários do Tejo e do Sado, montanha, vegetação exuberante, vinhedos e a tranquila planície do interior. Lá está a esplêndida Catedral de Santa Maria da Graça (século 16) com os seus belos azulejos do século 18, a igreja gótica do Mosteiro de Jesus e as suas colunas manuelinas, um museu arqueológico com intrigantes vestígios da ocupação romana, e o Castelo de São Filipe (século 16). Situada a 32 km da capital, está também a curtas distâncias de cidades e vilas como Palmela, Sesimbra, Alcácer do Sal e Grândola.

Para quando você for a Lisboa

IDIOMA
Português

MOEDA
Euro (€)

FUSO HORÁRIO
Dependendo da época do ano e do horário de verão nos dois países, pode ser de 2 até 4 horas a mais em relação ao horário de Brasília.

VISTO
Cidadãos brasileiros não precisam para permanência de até 90 dias. Necessário passaporte com validade de pelo menos seis meses. E um seguro internacional de saúde pode ser solicitado.

CLIMA
O verão (junho a agosto) sempre é uma boa época para visitar Lisboa, embora a temperatura possa chegar a 40º em alguns dias e todos os lugares ficam cheios de turistas. Já os meses de maio (primavera), setembro e outubro (outono) apresentam temperaturas amenas e preços mais baixos.

SAÚDE
Nenhuma vacina é obrigatória para entrar em Portugal.

CONSULADO DE LISBOA EM SÃO PAULO
Rua António Maria Cardoso, 39 - Chiado.
Informações: cglisboa.itamaraty.gov.br/ pt-br

COMO CHEGAR
A TAP (flytap.com/pt-br) é a única com voos diários e diretos a partir de São Paulo. A aérea portuguesa tem 70 frequências semanais para Portugal partindo de dez cidades brasileiras: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. A Azul (voeazul.com. br) voa desde o Aeroporto de Viracopos (Campinas). Outra opção interessante é a Royal Air Maroc (royalairmaroc. com), que voa quatro vezes por semana a partir de São Paulo e três do Rio de Janeiro para Casablanca (Marrocos) e de lá para Lisboa. Todos os voos são com o moderno Boeing 787-8 Dreamliner.

O QUE COMER
Lisboa é um destino de sonho para os apreciadores da boa gastronomia. Dos restaurantes estrelados até as tascas centenárias, há sempre uma mesa repleta de pratos deliciosos à sua espera. Claro, que o famoso bacalhau – preparado em mais de mil receitas – não pode faltar. Peixes frescos, mariscos e outros frutos do mar também estão presentes no dia a dia – preparados de maneiras sofisticadas ou saídos da grelha. As refeições ficam ainda melhores quando acompanhadas pelo tradicional vinho português, uma das maiores riquezas do país.
Restaurante Tavares – restaurantetavares.net
Casa da Comida – casadacomida.pt
O Forcado – oforcado.com
Parreirinha de Alfama – parreirinhadealfama.com
Martinho da Arcada – martinhodaarcada.pt

ONDE FICAR
A capital portuguesa oferece opções variadas para sua hospedagem. Há desde empreendimentos luxuosos das principais redes internacionais, até ótimos hostels e pousadas.
Dom Pedro Palace – dompedro.com Altis Avenida – altishotels.com
Chiado Apartments – chiado-apartments.com
Corinthia Lisboa – corinthia.com
Holiday Inn Lisboa – ihg.com

TRANSPORTES
Embora Lisboa tenha muitas ladeiras, é possível conhecer diversas atrações andando a pé a partir do centro - Baixa, Chiado, Alfama e Bairro Alto.
Outra opção recente é utilizar os tuc-tucs que transportam turistas para todas as partes da região central.
Para as zonas mais afastadas – Belém, Parque das Nações, Sintra, Cascais e Queluz - use os bondes (elétricos), ônibus, metrô ou trens.

DICAS

Lisboa Card – Economize usando esse cartão que permite o uso ilimitado do transporte público local, dá acesso gratuito em alguns pontos turísticos e desconto em outros. Disponível nas versões 24, 48 e 72 horas. Preços: €18,50, €31.50 e €39. PACOTES TURÍSTICOS
ABREUTUR – abreutur.com.br
LUSANOVA – lusanova.com.br
FLOT VIAGENS – newsite.flot.com.br
INFORMAÇÕES TURÍSTICAS
visitlisboa.com

Nova atração turística em Lisboa

Localizada na Avenida da Índia, em Alcântara, a Experiência Pilar 7 – a nova atração turística e cultural de Lisboa – promete mostrar a Ponte 25 de Abril, uma das mais bonitas do mundo, como nunca se viu. A proposta é uma viagem pela história da construção, terminando na ascensão de um elevador panorâmico até um mirante a cerca de 80 metros de altura (equivalente a 26 andares), que possibilita uma visão inédita da cidade, em particular sobre a zona de Belém e o Rio Tejo. A grande plataforma com base em vidro permite incríveis perspectivas da capital portuguesa. Espaços até então inacessíveis, como o ponto mais alto dos pilares, passam também a ser visitáveis por meio de realidade virtual. Abre todos os dias (maio a setembro), das 10h às 20h e, de outubro a abril, até às 18h. Preços: € 6 (regular) e € 4 (estudantes e +65 anos).

Informações: visitlisboa.com/pt-pt